Categorias: Notícias

Pluralidade e pujança de Itabaiana incentivam o turismo na cidade

Atrativos turísticos peculiares e os múltiplos roteiros possibilitam aos visitantes uma imersão na cultura e na natureza do município do Agreste Central sergipano

Publicação: 22/05/2023

Na Casa de Farinha, delícias da culinária nordestina à base de mandioca

O turismo valoriza a cultura e as pessoas que residem em determinada localidade, privilegiando, entre outras questões, os saberes e fazeres. Nesse quesito, de forma singular, Itabaiana, município que fica a 46 quilômetros da capital, Aracaju, no Agreste Central sergipano, se destaca pela pluralidade de atrativos. Entre eles, é possível citar a pujança no comércio, um convite aos turistas e visitantes vivenciarem o turismo de compras, e a culinária à base de farinha de mandioca, que fortalece o turismo gastronômico e de experiência, este último ressaltado, também, pelos peculiares atrativos que possibilitam uma imersão na natureza por meio de múltiplos roteiros de ecoturismo. Tudo isso e muito mais fazem parte dos encantos de Itabaiana.

Vale destacar que as características de Itabaiana e todo o potencial turístico da cidade engrandecem o estado, especialmente ao gerar empregos e renda. Quando se fala em gastronomia típica, por exemplo, as casas de farinha de Sergipe têm grande relevância, pois estão em diversos municípios. Itabaiana é um deles. É onde ocorre o processo de transformação da mandioca em farinha e em outros produtos, delícias como o beiju de tapioca, beiju molhado, pé de moleque, saroio, mal casado, manauê, entre outros. Além disso, representam um ofício com base na agricultura familiar, cujo processo envolve toda a família.

A Casa de Farinha de Itabaiana está localizada na Praça de Eventos, no Centro da cidade. O funcionamento fica por conta de duas famílias que fazem se revezam semanalmente. Há décadas, elas produzem nesse local comidas típicas do Nordeste, que são vendidas durante todo o ano, inclusive, na feira de Itabaiana. Conhecida nacionalmente pela pluralidade e pujança, é a maior feira livre do estado, tendo recebido o título de Patrimônio Cultural Imaterial de Sergipe.

A maior feira livre do estado, a de Itabaiana

Quem visita a feira excursiona por uma variedade de cores, sabores e cheiros do Nordeste. Assim, vivencia o comércio da região num espaço multicolorido e agradável, onde são vendidos produtos variados, como frutas, verduras e até roupas e calçados. Há muita variedade de produtos e com preços acessíveis.

Conhecida como a ‘Capital do Caminhoneiro’, por apresentar o maior percentual de caminhões por pessoa do Brasil, Itabaiana também se destaca pelo comércio de joias e semijoias. Em geral, são comércios que passam de pai para filho. Assim, num misto de fazer compras e passear, esse tipo de atividade estimula o turismo de compras.

 

A castanha de Carrilho

A castanha Carrilho faz parte da cultura gastronômica de Itabaiana

A castanha Carrilho, beneficiada no povoado que leva o mesmo nome, faz parte da cultura gastronômica de Itabaiana, uma delícia apreciada em todo o estado. Naquele lugarejo, 90% da população trabalham com beneficiamento de castanha de caju por meio da Cooperativa dos Beneficiadores de Castanha (Coobec). Inaugurada em 2011, a entidade agrega 20 famílias da comunidade, que atuam desde o início do processo à venda, movimentando a economia e também o turismo na localidade. Assim, além de poder comprar, o visitante pode conhecer as etapas do beneficiamento dessa oleaginosa, observando todas as fases: da queima até a finalização.

 

Parque Nacional da Serra de Itabaiana

O alto da Serra de Itabaiana chega a 659 metros de altitude

Administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Parque Nacional da Serra de Itabaiana abriga diversas espécies de répteis, mamíferos e aves nessa área com remanescente de Mata Atlântica e que também apresenta características com transição para caatinga. O local é explorado por meio de trilhas com espaços que se dividem em cachoeiras, poços, riachos e penhascos.

O alto da serra, que chega a 659 metros de altitude, é considerado o segundo ponto mais alto do estado de Sergipe, apresentando cachoeiras e poços: Poço das Moças, Cachoeira dos Encantados, Poções da Ribeira, Caldeirão, Poço Negro e Véu de Noiva.

A Cachoeira dos Encantados é a segunda na ordem ao fazer trilha. Possui uma diversidade de espécies de répteis, e a água escorre pela longa raiz das plantas. Já nos Poções da Ribeira, há um rio por cima de pedras brancas entre a restinga de Mata Atlântica, que proporcionam ao turista um contato direto com a natureza e um banho relaxante nas águas frias.

 

Parque dos Falcões

Parque dos Falcões é o único centro de criação de aves de rapina da América do Sul

Situado a 50 quilômetros da capital, Aracaju, o Parque dos Falcões é um santuário ambiental a céu aberto que abriga cerca de 500 aves. É o único centro de criação de aves de rapina da América do Sul e também o único local do país com autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para criar aves de rapina. Lá, o turista tem o contato direto com as aves, além de fazer o tour guiado e participar das apresentações desses animais. Quem vai ao Parque dos Falcões se surpreende com a diversidade de espécies.

 

Turismo religioso

Maternidade São José, onde aconteceu o primeiro milagre da Santa Dulce dos Pobres

O turismo religioso é muito forte em Itabaiana, que passou a ser considerada a Cidade dos Milagres. Isso ocorreu especialmente pelo fato de que foi na Maternidade São José, naquele município, que, em 15 de janeiro de 2001, a Irmã Dulce realizou o primeiro milagre dela. A religiosa salvou uma mãe que, após o parto, ficou em coma. Conta-se que, depois de orações feitas à Irmã Dulce, a mulher voltou à vida. Com a comprovação desse milagre, a Igreja Católica santificou a freira, que se tornou Santa Dulce dos Pobres.

Vale destacar que a devoção à santa está enraizada na cultura do povo itabaianense. Tanto que, em 2019, foi criada a Peregrinação Santa Dulce. O cortejo parte da Maternidade São José em direção ao Mirante de Santa Dulce, onde há uma ermida – uma pequena igreja rústica –, anexa ao Parque dos Falcões. O local é um ponto turístico que fortalece o turismo religioso com uma peregrinação cuja distância é de 12,2 quilômetros.

Na Casa de Acolhimento Irmã Dulce, localizada no Bairro Oscar Niemeyer, em Itabaiana, inclusive, há uma estátua da santa com 7 metros de altura, instalada em um mirante que totaliza 23 metros. É considerada a maior estátua da freira no mundo. Nessa instituição, é realizado um trabalho para dar continuidade aos projetos de caridade de Irmã Dulce, que foi a primeira santa brasileira, reunindo um conjunto de atividades sociais, artísticas e religiosas que atendem indivíduos em vulnerabilidade e risco social, especialmente pessoas em situação de rua e com deficiência intelectual. A instituição é mantida a partir de doações.